Tuesday, July 10, 2012

O Paio do Submarinista



Para celebrarmos a condecoração que meu pai receberá -- a de submarinista honorário -- fomos almoçar no Bar do Jóia, este que é o botequim mais antigo do Rio em funcionamento. Já conheci alguns submarinistas em minha vida, mas honorário é o primeiro, o que mais que justifica a comemoração.

O Jóia resiste às intempéries do tempo e a intempéries piores, como os altos impostos que o governo cobra para incentivar o pequeno empresário, a especulação, a tendência mudernizante dos botequins e ao Porto Maravilha. Isso, o Bar do Jóia também resiste ao Porto Maravilha.

Para auxiliar a Dona Alaíde, viúva do mítico Jóia, não raro clientes amigos fazem espontaneamente as vezes de garçom, não apenas pegando cerveja no freezer, que isso é mole, mas também servindo os pratos e tirando a mesa de outros clientes. Crowdfunding é isso aí!

Devido às cãs de nossas barbas, optamos por uma dieta frugal, de uma frugalidade trapista: arroz, feijão, paio e ovos. Sunny side up.

PS: Meu pai entrou uma única vez em um submarino. Não espalhem, não deixem a Veja saber.

2 comments:

Raul Agostino said...

Adorei a tua foto com o velho! Ressinto ter tão poucas fotos com o meu. Ok, eram tempos de filme, revelação, ampliação, mas mesmo assim...

A VIDA NUMA GOA said...

Penso muito nisso quando me dou conta de que não tenho uma única foto com o meu querido orientdor José Carlos Barcellos. E agora só terei quando eu chegar do lado de lá. (Isso se eu não esquecer o meu Nokinha N8 do lado de cá).

Sobre o JCB, post em breve.