Thursday, July 19, 2012

Hey Jack Kerouac




Agora que se fala no On the Road, lembro de quem viu o Jack por um outro viés, cutucando-o com vara curta. Ele já partira para outras estradas, é verdade, without saying goodbye, e sei que depois que a onça está morta todos enfiam o dedo no cu dela, mas, mesmo assim, seu legado permanecia, permanece, o filme de Walter Salles prova-o.

O que fizeram os 10,000 Maniacs? Pensaram na mãe do Jack, enquanto ele enchia a cara de álcool e de cannabis. Chatos eles? Discordo. É o jeito de procurar ver os fatos com outras lentes (aqui e nos exemplos seguintes nitidamente feministas), enxergar os fatos menos fatos, dando voz aos silenciados. Assim, em "Eat for two", ao se falar de uma grávida tampouco há louvores à gravidez e em "Gold Rush Brides" a conquista do Oeste é vista sob a ótica das mulheres e seus "accounts of madness, childbirth, loneliness and grief".

Eu fiz o caminho inverso, conhecendo a Natalie antes dos Maniacs e, com estes, conhecendo o ao vivo unplugged antes dos demais, o que tenho por método evitar. O resultado foi devastador: amei a Natalie amei os Maniacs, mas nunca jamas houve disco dela ou deles que me levasse às alturas do MTV Live Unplugged, que dizem as más línguas tratar-se do melhor de todo o ótimo projeto da MTV.

1 comment:

Raul Agostino said...

Um belo disco e uma cantora linda em todos os sentidos!