Wednesday, July 25, 2012

Hei-de torcer, torcer, torcer

Que chato, né, empreiteiros e construtoras e imobiliárias que tudo fazem pela verticalização, adensamento e desumanização da cidade: a sede do América Football Club, na Rua Campos Salles, 118, na Tijuca, foi definitivamente tombada.

Além do tombamento, a prefeitura publicou outros dois decretos na tentativa de impedir o leilão da sede de um dos primeiros clubes de futebol do Brasil. Sei que os destombamentos estão em voga mas, ao menos por um tempo, impede-se que ali se levante um Palazzo Tijuca ou um Condomínios Varandas da Afonso Pena.

O pequeno campo do América, onde hoje é o Shopping Iguatemi e onde jurei jamais entrar,  já se foi (saudades...), mas a sede do Mequinha resiste. Não custa lembrar que, a exemplo do Vasco, o América foi fundado no centro do Rio, o que lhe confere caráter verdadeiramente popular, ao contrário de outros clubes todos eles fundados na Zona Sul da cidade.

O grande João Cabral de Melo Neto era torcedor fanático do América. De Recife. Chegou a jogar lá. Por antonomásia, vivendo tantos anos no Rio, afeiçoou-se também ao América carioca. Claro que afeição não é paixão. Mas é afeição de poeta maior.

Boteco do América - Tijuca

Boteco do América - Tijuca

Bar Brasil - Lapa

Bar do Escorrega - Tijuca

Bar Tutuquinha - Tijuca

Café e Bar Confiança - Vila Isabel. Em frente ao velho estádio,

Bar Manhães - Ingá. Templo da americanidade. E fabuloso pastel de feijoada.
Salão América - Tijuca

Salão América - Tijuca




1 comment:

O Passeador Tijucano said...

Hei de torcer até morrer! Ótimo post!