Thursday, July 05, 2012

Gales, Galícia, Gália





Um pouco de prog-folk, ou folk-prog. Nesses três casos, fica até difícil falar em “rock”, mas com certeza dá para falar em “música progressiva”.

Do País de Gales, recomendo o belíssimo Pererin (4 discos, de 1980 a 1985). Arranjos esmerados e vocais em galês! A música que escolhi ("Mynydd Panys", do álbum de 1981) encarna bem o que defino como "música progressiva", "música de aventura", de vez que a base folk não impede o belíssimo solo de guitarra. Mítico, para além dos liames da história.

Da Galícia (região separatista da Espanha, onde se fala o galego), recomendo o Milladoiro, grupo que amo de paixão. Como já disse, não dá para falar em “rock” aqui (sequer estão no prog archives). Mas a abordagem que eles têm da música tradicional é altamente progressiva (sem instrumentos elétricos, porém). Foi uma epifania para mim ouvir, há mais de 20 anos, estudando galego em Santiago de Compostela, Galícia no País das Maravillas.

 E da Gália (antigo nome da França), recomendo, nesta linha, o Malicorne (8 discos, de 1974 a 1986). Embora com profundas raízes folk, sua música nunca é fácil, muito menos banal. Dos que tenho, recomendo em especial o L' Extraordinaire Tour de France d'Adelard Rousseau. Extraordinaire.

"In wildness is the preservation of the world"... (Thoreau)

1 comment:

Raul Agostino said...
This comment has been removed by a blog administrator.