Monday, May 09, 2016

O BI de 1988 ::: Cocada

Bar do Souto :: Quintino


A conquista do bicampeonato ontem me traz à mente lembranças muito vivas de outro bi, o de 1988. Por diversos motivos.

Em primeiro lugar, foi o único jogo em toda a minha vida em que fui de geral. Explico: naquela noite eu tinha apresentação de seminário na UERJ, onde cursava Psicologia, e eu convidara ninguém menos que representantes do grupo Tortura Nunca mais para exibir um filme (que acabou não acontecendo devido a problemas técnicos) e debater. Em que pese a não-exibição, o debate foi um sucesso e, registre-se, Cecília Coimbra, a então presidenta do TNM fora presa e torturada enquanto estudante de Psicologia. De lá, voei para o Maraca e, após rápida conversa com 2 PMs, eles franquearam-me a entrada. Eu nem sabia pra onde! Quando vi, estava na geral. A tempo de xingar o Renato Gaúcho, ver o Cocada entrar, fazer um golaço, tirar a camisa e ser expulso.

Eterno.

O vídeo é interessantíssimo. Estão ali, do lado do bom time rubro-negro, Bebeto e Renato Gaúcho. Aquele seria campeão com o Vasco no ano seguinte, enquanto que este quase o foi como técnico, muitos anos depois. Estão ali também Zinho e Jorginho, campeões pelo Vasco ontem. As tais das voltas que o mundo dá.

Do lado vascaíno, Acácio, Paulo Roberto, Zé do Carmo, Mazinho, Vivinho, Romário. Um ótimo time, que faria um ótimo brasileiro.

Ah, e o Cocada.

Reparem que o seu gol foi, realmente, fantástico. No meio de quatro jogadores, ele não passou a bola para o Romário. Incrível. Se calhar, entra sem favores na lista dos 10 mais do Vasco de todos os tempo, e não apenas pelas circunstâncias.


Pode-se ler mais sobre a Cecília Coimbra aqui.

1 comment:

JM said...

Incrível saber que você foi somente a um jogo na geral. Foi o local que mais frequentei no maraca. Os tipos humanos que conheci ali foram sensacionais. Qualquer jogo na geral era interessante. Só não gostava de geral em jogos com mais de 50 mil. Aí o clima mudava e ficava mais tenso