Thursday, January 28, 2010

AMARAMEI

O bom de blog é que blog não é livro. O blog tem seu rascunho, mas ele todo pode ser um grande rascunho. Claro que livros também podem ser rascunhos e minha vida mesmo não passa de um rascunho, para quê não sei já que não acredito em retornos.

Tudo isso para dizer que o poema que segue é, definitivamente, e muito mais que outros que por aqui postei, rascunho. Chama-se "Amaramei", de rascunho.

AMARAMEI

Amar, amei.
Se trago
coração e sexo macerados
é que tresli os sinais apresentados.

E mais treslera
mais houvera.

Mas no claro, no crocante, no fulgor
desta manhã
uma luz muito difusa penetra
por detrás de minhas costelas.

And i who was dead am alive again today.

3 comments:

Indelével said...

Rascunho ou não, eu gostei!

Beijos

Julia said...

mudei meu poema todo
e terminei com versos não meus, como vc ( com uma pequeníííssima modificação na verdade)
li o seu de novo
e achei triste
lindamente triste

kikigsilva said...

Rá! ;D