Monday, February 13, 2017

Mas trancado em casa ele não fica

Milkshake na Sorveteria Grajaú
Uma foto pode falar por mil palavras. Mas às vezes são necessárias mil palavras para explicá-la. Ou 113.

"É desgastante sair com seu filho para um passeio e se sentir alvo de olhares, nem todos generosos.
(...)
"Dentre as poucas coisas de que posso me orgulhar está nunca ter escondido Henrique. Sempre o levei a shoppings, restaurantes, praias e piscinas. Os interesses dele foram ficando mais restritos e os comportamentos, desagradáveis (as bolinações, os gritos, as autoagressões), mas trancado em casa ele não fica.
(...)
O Estado não ajuda, a ignorância e as caretas alheias não ajudam, porém temos forçado as portas. Ainda não colhemos todos os frutos, mas pode ser que as gerações futuras encontrem um cenário mais propício à inclusão na sociedade e à aceitação das particularidades das pessoas com autismo." 

Meu Menino Vadio,
de Luiz Fernando Vianna
(trechos do capítulo 'Estamos aí')

1 comment:

Grazi Albuquerque said...

Pesquisei na internet informações sobre o livro no mesmo dia em que me falou a respeito. Encontrei, inclusive, uma das passagens que citou aí no texto. Fiquei bem curiosa, mas ainda preciso dedicar meu tempo à leitura mais didática, com informações práticas e direcionadas ao trabalho.
Logo logo partirei para este tipo de literatura. Enquanto isso, vou aprendendo um pouco aqui com as aventuras do menino Dante e do seu pai-poeta.
Um beijo pra ele, que a essa hora deve estar desfilando pelos arredores do Grajaú, para a nossa alegria.