Sunday, February 22, 2015

Os Iglus de Guadalupe



Resistem na Rua Calama, os iglus de Guadalupe. Projeto do governo de habitação popular do pós-guerra, fim dos 40, início dos 50, falharam redondamente (opa) por serem absurdamente quentes. Cito a Wikipédia:

"Para obter o formato de casa, inflava-se um balão de lona plástica, portas e janelas eram demarcadas com formas de madeira e tudo isso era revestido por uma tela metálica e recoberto por cimento. Havia do "balão pequeno", de quarto e sala, ao "balão grande", de três quartos."

Como as casas têm as paredes abauladas, imaginem as dificuldades para a acomodação dos móveis. Por isso e pelo calor e pelas rachaduras surgidas, os moradores foram fazendo o que bem entendiam com eles. Como se vê nas fotos, alguns ainda são habitados e não estão lá com conservação muito boa. A outros agregou-se puxadinho, que acabou por ser muito maior que a própria casa inicial. É o que se vê no iglu verde abaixo, em ótimo estado, parecendo pertencer a família mais abastada. Conversei com senhora que os chama de balões, que rogou que eu não fotografasse o seu, por vergonha do atual estado. Conversei com primeiro-tenente que me confessou que irá pôr o seu abaixo tão logo sua mãe faleça.

Assim resistem os ilgus de Guadalupe, nesta cidade de temperaturas pouco afins a iglus. Contei dezesseis. Pelo que representam, no entanto, merecem imediato tombamento.




















1 comment:

Ivo Korytowski said...

Parecem os abrigos antiaéreos com que o ditador paranoico encheu a Albânia e que hoje não servem para nada.