Wednesday, June 18, 2014

O Jardim da Quinta de São Cristóvão.... já não há




No mesmo dia em que descubro um botequim em São Cristóvão chamado Xodó Portugal numa rua que atende por Gotemburgo (e eu vestia a camisa da seleção sueca), descubro que o impagável bar Jardim da Quinta, templo da vascainidade da mítica Dona Olinda, já não é ::: tem novos donos, fizeram as reformas todas, acabou.

Para uma cidade que se só preocupa com sua orla e com sua zona sul, isso talvez não signifique nada. Pois saibam que muito dono de restaurante e de bar além Rebouças veio até a Dona Olinda provar, aprovar e aprender como se faz empada de camarão. Eu provei, morro tranquilo. Inigualável.

A funcionária do novo estabelecimento não foi insensível ao meu enorme desapontamento. Disse que o bar estava muito feio, ao que redargui "Eu achava lindo". Bem, ao menos, miraculosamente, mantiveram os azulejos laranjas de frutas dos anos 70, por dentro e por fora.

E achava mesmo, nem é coisa de intelectualóide. O bar de pouquíssimos lugares, seu rígido horário de almoço, o garçom e a filha severos, mas que se deixam conquistar. E a Dona Olímpia, índia minhota arredia, que foge das fotos como pode. Isso explica os meus registros fora de foco.

O Quinta de São Cristóvão não se transformou em outra coisa. Ele morreu. E me alegra ser mortal para um dia reencontrá-lo lá em cima e sentar na mesa de fórmica azul, pedir uma cerveja e perguntar pergunta retórica Ô, Dona Olinda, tem empada hoje?








Dona Olímpia ::: saudades


1 comment:

Vera Lage said...

Corcordo ,o Jardim da Quinta era lindo.Um bar que não tinha clientes e sim amigos.Sem meu pai,o Ferreira o Jardim da Quinta morreu .Eu e dona Olinda ficamos emocionadas com o seu carinho .Obrigada e Parabéns pelo seu blog.