Friday, January 29, 2016

A mãe do Dante



Meu Dante se chama Dante por causa do Dante, claro, e por isso não canso de voltar à obra e à vida do rebelde poeta florentino.

Assim descubro cousas notáveis sobre a mãe do Dante. Seu nome era Beatrice Bella, provavelmente um membro da família Abati. Quando Dante era ainda muito pequeno, andava pelos quatro anos, ela e seu marido Alaghiero di Bellincione separaram-se, não sei bem o motivo, sabe-se que ele era guelfo, talvez fosse ela guibelina. 

Ao contrário do que era voga na época, a segunda metade do século XIII, o pequeno Dante ficou com o pai, para grande alegria deste que muito o amava. Lembremos que o guelfinho apresentava comportamento bastante diferente de seus coetâneos: custou para interagir com o mundo à sua volta, demorou para andar, apresentava limitações motoras, não falava, tinha grandes crises de ansiedade. Tais dificuldades, no entanto, não pareciam sensibilizar muito Beatrice, que faltava às visitações estipuladas pelo Judiciário de Florença e depositava o valor da pensão errado. Beatrice Bella chegou mesmo a pleitear horário especial em seu trabalho (lecionava toscano em um guilda de artífices) por conta do filho, embora, lembremos, ela não ficasse com ele senão pouquíssimos dias ao mês.

Alaghiero contraiu bodas pela segunda vez, desta feita com Lapa Chiarissimo Cialuffi. Bella, há grande divergência nas fontes aqui, parece que enrabichou-se com um segrel de Ravena.

Beatrice de tudo fazia para ficar cada vez menos com o pequeno Dante. Na sociedade, entretanto, posava de dama virtuosíssima, tanto que, nas poucas vezes em que ficava com o pequeno, fazia questão de ter seu retrato pintado junto a ele, para que assim pudesse exibi-lo pendurado ao pescoço.

Vejam que falta fazia o Facebook.

No comments: